segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Turfeiras dos Açores

Para quem ainda não conhece, gostaria de referir neste post um dos mais importantes patrimónios naturais dos Açores, infelizmente bastante desconhecido da maior parte de todos nós, as turfeiras.
As turfeiras, ou turfa, é um tipo de vegetação habitualmente encontrado nas partes altas (mais 500m altitude) que está perfeitamente adaptado à captação de grandes volumes de água, quer por precipitação directa quer por intercepção de nevoeiros, mais conhecida entre nós por vegetação húmida. As turfeiras conseguem, conforme o seu tipo de composição vegetal, reter entre 73% (turfa de graminóides) e 94% (turfa de Sphagnum) do seu peso em água, funcionando como uma enorme esponja que armazena a água regulando as escorrências de água após eventos de grande precipitação evitando não só as erosões dos solos, bem como que estas águas se percam de imediato. As turfeiras têm igualmente um papel bastante importante de purificação da água, uma vez que retêm na sua estrutura todas as substâncias que estão diluídas, incluindo substâncias tóxicas.
Por estas e por outras razões as turfeiras são essênciais para a manutenção não só da diversidade natural das ilhas, bem como para garantir níveis de fornecimento de água correctos.
Infelizmente, ao que tudo indica, cerca de 50% da área de turfeira dos açores já foi alvo de intervenção humana, em particular para criação de pastagens ou de floresta de produção.
É um facto de temos por garantido que as ilhas açorianas não têm problemas de falta de água, mas situações como as ocorridas na ilha Terceira mostram-nos que a redução de áreas ocupadas por turfeira terão consequências graves no ciclo hidrológico.
Poderão encontrar mais informação neste artigo publicado por elementos do Gabinete de Ecologia Vegetal e Aplicada (GEVA) da Universidade dos Açores, e que serviu de suporte para este post.

10 comentários:

geocrusoe disse...

efectivamente a importância das turfeiras no equilíbrio dos sistemas hidrogeológicos nos açores é enorme e a sua destruição pode provocar alterações com perturbações no sistema de abastecimento de água nas ilhas.
O que se passou na Terceira é um caso de estudo a longo prazo, onde erros de ordenamento, de gestão de recursos e de opções políticas recentes se misturam com camuflagens técnicas de perspectivas variadas em função dos interesses envolvidos. Só quando houver um distancimento temporal será possível decobrir a verdade de uma forma isenta.

Ma-nao disse...

Como em tudo o que se relaciona com património, conhecer é essencial para proteger, porque só se protege o que se ama e só se ama o que se conhece. Daí a divulgação ser essencial para a salvaguarda.
Visto que a água é essencial à sobrevivência, dada a escassez deste recurso em vários pontos do globo e dada a necessidade constante (motivada por exemplo pela globalização, etc.) de se encontrarem novos rendimentos, porque não defender este património natural como fonte de rendimento dos Açores, eventualmente através da "produção" de água para exportação?

Grifo disse...

Se temos falta de água nas ilhas nunca a iremos exportar...

Temos é de preservar os nosso recursos hídricos em vez de construir campos de golfe por cima de lençóis de água e deixar os Americanos poluírem a nossa água com combustível...

Ma-nao disse...

Se se protegerem as turfeiras, talvez não só seja possível pôr de lado qualquer problema de falta de água, presente e futuro, nas ilhas dos Açores, como ainda "ter água para dar e vender" - como é a tradicional imagem dos Açores (por alguma razão) e exactamente o que se quer preservar.
Isto não significa, como é óbvio, desperdiçar ou utilizar os recursos hídricos inadequadamente.

Grifo disse...

o vídeo que agora está no blog é interessante... :)

Até pode ser que tenhamos água em abundância, mas não considero possível virmos algum dia a exportar a nossa água... Se bem que os Açores são uma boa forma de publicitar... xD

geocrusoe disse...

Os açores são um bom exemplo de má gestão dos recursos hídricos... claro que só se justifica exportação de água se ela tiver algum aspecto químico ou gustativo que a valorize comercialmente (fontes da serra do trigo e das lombadas). caso contrário apenas será viável se a sua característica principal for a PUREZA e as turfeiras voltam a ter um papel fundamental na depuração da água.

Grifo disse...

Se o nível das águas do mar subir deverá aumentar o nível de Cloretos nas nossas águas... Acho que não é um bom sinonimo de pureza... :S Os habitantes da Feteira sabem disso...

geocrusoe disse...

ao grifo
estás a confundir as águas, uma coisa, os sais na água são prova de má gestão (furos na região de interface agua doce/salgada) e a preservação das turfeiras pode ser fundamental para a preservação da qualidade das águas doces

Grifo disse...

Mas menos espaço de água doce existira se o nível do mar subir...

Ecoteca do Faial disse...

As turfeitas são normalmente visitadas e divulgadas por ocasião do Dia Mundial das Zonas Húmidas - festejado a 2 de Fev pela Rede de Ecotecas dos Açores e instalado pela Convenção de Ramsar. Um bom exemplo será as que existem, ou existiam, pois nesta altura estão secas, no Jardim Botânico de Pedro Miguel.

http://ecotecas.blogspot.com/2007/02/dia-mundial-das-zonas-hmidas.html

Abraço