terça-feira, 22 de setembro de 2009

vi(r)ver porto pim

Durante os próximos dias 25, 26 e 27 realizam-se em toda a Europa as Jornadas Europeias do Património, tendo como principal objectivo a sensibilização dos cidadãos para a importância da preservação do património.
Este ano o blog HORTA XXI junta-se à Câmara Municipal da Horta para organizar alguns eventos dentro do âmbito das referidas jornadas.
O tema deste ano será, como indica o título deste post, "vi(r)ver porto pim" e terá, naturalmente esta magnífica baia, bem como todas as suas vertentes patrimoniais como protagonista principal.
No dia 25 (sexta-feira), pelas 21h30, poderemos ir ouvir a violetista Danusha Waskiewics tocar alguns dos andamentos das sonatas para violoncelo de Bach, entre outras peças dentro das muralhas do Castelo de São Sebastião.
No dia seguinte irá realizar-se um passeio em torno da baía de Porto Pim durante o qual serão abordadas, por alguns dos participantes, as várias vertentes patrimoniais de Porto Pim, desde o património construído, ao património natural.
O percurso iniciar-se-à no Castelo de São Sebastião pelas 14h30, seguindo pela rua do Castelo (antiga rua do Pasteleiro), travessa do Porto Pim, rua da Areinha Velha, praia de Porto Pim, Fábrica da Baleia, subida ao Monte da Guia e terminando na baía Entre Morros.
Devido à pouco grau de dificuldade do percurso o mesmo poderá ser feito por crianças, pelo que os pais poderão participar trazendo consigo os mais pequenos e partilhar esta experiência que se pretende que seja pouco formal e muito enriquecedora.

5 comentários:

Humberto Moura disse...

Eh um tema fascinante
Porto Pim para alem de um imaginario irrecusavel que a Ilha do Faial contem eh ainda a inspiracao para a criatividade de alguns que hoje vai minguando à falta de apoios e que cada vez mais se faz acenturar
Eh por isso mesmo uma das mil maravilhas que o universo contem

Café Puro disse...

...espero que nessa caminhada estejam presentes as autoridades, porque essas sim precisam de ser sensibilizadas!
Não foram os cidadãos responsáveis pelo desprezo e abandono a que durante anos, o castelo de S. Sebastião esteve votado, levando à ruína irreparável de uma das suas guaritas. E mais há-de ruir pois não adianta apenas cuidar da “casa do castelo” para eventos esporádicos.
Que se saiba, também não foram os cidadãos que “acimentaram” o muro de pedra ao lado do Portão de porto-pim.
Muito menos terão sido os cidadãos a “fechar os olhos” e aprovar em zona de construção condicionada, a remodelação da antiga casa da mutualista na Areinha Velha, cuja volumetria e impacto ambiental não só é agressiva mas de certo está em desacordo com o PDM.
Ainda na Areinha Velha, existe uma esplanada de perfil arquitectónico no mínimo discutível e de funcionalidade descartável (está abandonada) que lá está com permissão e conhecimento das autoridades.
Desde há pelo menos 25 anos que a arcada sobre a rampa de varagem de cachalotes na Fábrica da Baleia, se degrada ano após ano, constituindo actualmente ameaça de ruína e perigo público. Com o patrocínio do desprezo e inoperância das autoridades.
As mesmas autoridades que permitiram o abandono total e consequente ruína da primeira fábrica da baleia (vulgo tufo) levando à perda irremediável da pedra de tufo das suas paredes, sendo agora necessário engenhocas de arquitectura e de materiais (de gosto discutível), para a recuperação do edifício.
Já para não falar do desequilíbrio ambiental das aguas da baia, que leva ao crescimento desapropriado de fictoplanton condicionando a alteração da cor das águas de Porto-pim, nos últimos anos (curiosamente desde as obras de esgotos circundantes à baía!!!)
Sensibilização dos cidadãos???
Não me façam rir...quem precisa de ser sensibilizado são as autoridades locais

miguel valente disse...

Ao Café Puro,
Obrigado pelo comentário tão indicador de diversos problemas desta baía.
Gostaria de informar que, de facto, esteve presente o Director Regional do Ambiente, o qual ouviu diversas críticas e tendo tentado dar resposta a todas elas. Sei que a situação do Director Regional não foi nada fácil e estou satisfeito pelo mesmo ter participado nesta iniciativa.
Vários dos pontos que mencionaste foram abordados durante a visita, a qual acabou por se tornar, em diversas alturas, num debate aceso sobre as posturas que as autoridades, e em particular o Governo Regional, que muitos dos participantes entendem que não são correctas.
A forma algo tensa como decorreu debate, juntamente com a quantidade de críticas efectuadas acabou, na opinião de alguns participantes, por minar o principal objectivo do passeio que era mostrar o incrivel valor patrimonial da baía de Porto Pim.
Para alguns dos participantes ficou um certo "amargo de boca" devido a tantas críticas, e naturalmente sou o único responsável por essa situação, não só devido ao facto de não ter sabido mostrar mais pontos positivos, como também acabei por ser bastante crítico quando devia ter sido moderador.
Apesar de tudo, para a maioria dos participantes o saldo foi positivo, pelo que a experiência será para repetir noutros pontos da cidade e da ilha.
Espero contar com a tua presença no próximo passeio.

Ma-nao disse...

Para mim, a principal conclusão do passeio foi que há muita gente interessada no património (nas suas várias facetas cultural, ambiental, paisagista, etc) e, principalmente, com reflexão feita sobre os temas e com muitas e interessantes coisas para dizer, como ficou mais do que comprovado pela duração (várias horas) e pela intervenção no debate dos participantes no passeio, que foi quase total.
Esta foi uma primeira experiência de algo nestes moldes, pelo que é natural que tenha havido algumas falhas. Sobre isso, penso que todo o feed-back sobre a iniciativa é importante, para se poderem "limar arestas" ao modelo.
Uma possibilidade será limitar o tema em debate - visto que pessoas interessadas e com coisas para dizer não faltam. Desta vez a ideia era abordar todos os patrimónios de um só local - é uma das riquezas de Porto Pim, ter tanto de interessante. :) Numa próxima vez, poder-se-á talvez abordar uma só área patrimonial ao longo de determinado percurso.
Também era interessante fixar-se um apanhado geral das reflexões, críticas e sugestões apresentadas, para a melhoria desta já de si magnífica baía.
Concluindo, a ideia que retiro desta experiência é: continuar, fazer destes passeios/reflexão/debate pela cidade uma iniciativa regular.

MJGDionisio disse...

Quem me dera estar aí. Tendo nascido praticamente na praia de Porto Pim, fico orgulhosa por ver finalmente dar a essa linda praia o valor que ela merece. Bem hajam