quinta-feira, 11 de março de 2010

Podar ou Decepar


No Faial as Podas que se vão Fazendo aos Plátanos são as esculturas mais tristes que já alguma vez vi


Supostamente...

Na jardinagem, poda é o ato de se retirar parte de plantas, arbustos, árvores, cortando-se ramos, rama ou braços inúteis, o que pode ser periódico e que pode favorecer o seu crescimento, forma-a, trata-a e renova-a. Pode ocorrer a poda natural, que é a queda ou morte natural de ramos, devido a umidade excessiva, falta de incidência de luz ou apodrecimento. Poda de forma é uma forma artificial de poda utilizada na jardinagem que retira folhas, ramos e galhos com o objetivo de modificar sua aparência estética.


5 comentários:

geocrusoe disse...

Este decepar é um acto desavergonhado que o Governo dos Açores passou a praticar invocando que está a"educar" o crescimento das árvores.
Uma grande desfaçatez para quem sabe minimamente o que é poda e controlo do crescimento das árvores.
Mas como deves saber, muitos açorianos não gostam mesmo de árvores, por isso tal é tolerado sem grandes danos para quem o pratica.

miguel valente disse...

As "podas" que aqui se efectuam são, de facto, bastante agressivas e totalmente erradas. A razão pela qual são efectuadas desta forma deve-se particularmente à falta de conhecimentos das pessoas que as efectuam, apesar das diversas ações de formação que a Secretaria Regional do Ambiente efectua regularmente. Não creio que seja uma orientação do Governo Regional, como diz o Geo, mas somente por não se dar a devida importância a esta matéria, cuja seleção e recrutamento de pessoal não tem em conta os conhecimentos, vocação ou aptidões para lidar com estas criaturas magníficas que são as árvores. Infelizmente é um facto que muita gente não gosta de árvores, e isso é um mal nacional, e não exclusivamente açoriano. Muitos dos nossos conterrâneos esquecem que as árvores são seres vivos, e que devem ser respeitados com tal, e não como uns elementos incómodos que nos "sujam" os quintais com as suas folhas e pólens. Felizmente as diversas autarquias já vão tendo técnicos devidamente qualificados para a escolha das espécies mais adequadas a cada situação, reduzindo assim os incómodos derivados de uma espécie mal inserida em determinado espaço. Falta agora que os diversos técnicos de poda sejam, de facto, técnicos de poda, "médicos" de árvores em vez de "açougueiros" que vêm fazer o trabalho que a imagem do post tão bem ilustra.

RD disse...

Miguel, tu és um sonhador.
Tens razão em tudo, mas o dia a dia não é feito nessa sequência. É óbvio que quem é contratado para isso não percebe nada disso e vai continuar sem perceber até que lhes dêem formação - e mais, mesmo tendo-a, não melhoraram (o tal curso de que falas que foi dado de pouco serviu) porque não é com UM CURSO que a coisa muda.
Mais e boa formação e um superior que perceba de podas. Vai ter que passar por aí.
Não fiques á espera que contratem jardineiros xpto's.
Eu dizia-te mais 2 ou 3 lugares de assassinatos de árvores históricas da ilha mas tenho vergonha.

Grifo disse...

Vi exactamente a mesma situação quando fui este fim de semana ao Porto

Deviam deixar que pessoas sem blog comentassem o blog.

João disse...

A este procedimento eu chamo crime.
Fui criado com plátanos que foram trabalhados e tornaram-se em autênticos guarda-sois. No verão sabia bem estar debaixo deles.
A sua altura era a correta e por isso não havia perigo de correntes de ar.
Este trabalho, anualmente, era orientado pelo Cabo dos Cantoneiros das Obras Publicas. Parece que acabaram.Outros foram fazer o curso. Assim me disseram. E o resultado está à vista.
Assim nunca mais a copa roda.