terça-feira, 2 de junho de 2009

Sharing Cultures 2009 (+)

Decorreu no passado fim-de-semana, na Ilha do Pico, o ciclo de conferências Sharing Cultures 2009, subordinado ao tema Património Imaterial (Intangible Heritage) e com a paisagem da vinha do Pico e as festividades do Espírito Santo como inspiração de fundo. O evento, que terminou ontem, 1 de Junho, foi organizado pelo Green Lines Institute, organização portuguesa dedicada ao desenvolvimento sustentável.


Durante 4 dias, o evento, realizado na nova Escola Primária da Madalena do Pico, contou com quase 90 apresentações de investigadores de todos os continentes a ocorrer em simultâneo em diversas salas, o que permitiu a cada um escolher as áreas que mais lhe interessavam. Pela minha parte, fiquei bem impressionada pelo interesse e qualidade geral dos conteúdos das apresentações a que assisti.

As apresentações estavam agrupadas por assunto, facilitando a escolha entre tanta oferta e a discussão por temas, para além dos exemplos e casos mais particulares e localizados: desenvolvimento sustentável; políticas e gestão; relações entre o local e o global; o intangível e o tangível; o turismo cultural; o património intangível e o museu; selecção, recolha e preservação de património imaterial; o património imaterial e a educação; as comunidades vivas; práticas de património imaterial.


Considerando os temas que mais me interessavam, as sessões a que assisti focaram particularmente o papel das comunidades na sua própria gestão e definição cultural; o património cultural e as questões sociais; o papel das instituições como os arquivos, as bibliotecas, os museus, na preservação do património imaterial e as questões tecnológicas associadas; a relação entre património material e património imaterial e a pertinência (ou não) desta distinção; dimensões subjectivas da memória, diferentes conceitos de património imaterial em diferentes culturas e tempos; relações/tensões entre autenticidade e turismo cultural.


De todas as apresentações a que assisti, realizadas por profissionais de áreas como a antropologia, a etnografia, a história, a psicologia, a sociologia ou as artes, destaco a apresentação de Paulo Ferreira da Costa, do Instituto Português dos Museus e da Conservação, intitulada "Portugal's nacional inventory of ICH: legislative, institutional and scientific contexts" que, para além de descrever o ponto da situação da salvaguarda do património em Portugal, apresentou o passo seguinte do MatrizNet * - a abertura deste site a todos os agentes culturais que possuam informação sobre o património português. O software está ainda em desenvolvimento, mas a ideia é abrir a possibilidade de carregar a base de dados (agora um inventário, mas que terá muitos mais campos como vídeos, textos de investigação, etc.) a todos os que o desejem fazer. Naturalmente, haverá um gabinete responsável pela verificação e selecção dos contributos apresentados, para garantir a qualidade final da informação disponibilizada.


Esta ideia é absolutamente inovadora a nível internacional e fez sensação na conferência. Em minha opinião é algo entusiasmante, um passo decisivo na inclusão e democratização da cultura no nosso território e será certamente uma ferramenta importante na salvaguarda de património material e imaterial, assim que estiver disponível - o IMC prevê que em Janeiro de 2010, esperemos que sim.


A estrutura do evento permitiu que os debates iniciados após as apresentações continuassem a título mais descontraído fora das sessões. O tempo para convívio e troca de ideias e experiências entre as várias pessoas foi, assim, um ponto muito forte deste evento, permitindo uma verdadeira e frutífera partilha de culturas.


A organização foi excelente. Tirando partido da (micro) escala açoriana e "picarota", todas as actividades ocorreram perto umas das outras, permitindo aos participantes circular a pé pelos lugares, tomando um verdadeiro contacto com a envolvente, apesar do mau tempo.

No geral, devo dizer que o ciclo de conferências excedeu as minhas expectativas e estou a planear inscrever-me novamente para o ano - sobre o qual ainda não há muita informação na internet mas que será em Évora, ou seja, novamente em Património Mundial.

Aqui fica o link da conferência de 2009: http://sharing.cultures2009.greenlines-institute.org/

O link da entidade organizadora: http://www.greenlines-institute.org/

E o link da conferência de 2010: http://www.heritage2010.greenlines-institute.org/

* Para quem não conhece, o Matriznet, disponível em: http://www.matriznet.imc-ip.pt/, é um site onde estão disponibilizados os inventários dos museus portugueses e onde é possível pesquisar 40 mil dos 400 mil objectos-espólio preservados nos museus portugueses.

3 comentários:

geocrusoe disse...

ainda bem qur participastes e gostastes... depois, com o que aprendestes, ajuda-nos a por em prática o projecto de defesa do património do faial.

Grifo disse...

Por falar nisso...

Como estão a correr a coisas? Tudo a andar para a frente?

Ma-nao disse...

Ao Grifo:
O projecto está a andar. Claro que estas coisas levam o seu tempo, precisam de ponderação, não se faz uma associação de um dia para o outro (infelizmente?), mas tem havido bastante interesse e neste momento já estão envolvidas pessoas em número necessário para formar a Direcção, apenas a estrutura desta ainda não está decidida.
Depois de formada a Direcção, serão finalizados os estatutos.
Quando chegar o momento de criar a associação, todas as pessoas k se mostraram interessadas serão contactadas para fazerem parte como sócios fundadores.

Ao Geocrusoe:
Cá estarei para contribuir com o que puder! :)