sábado, 29 de novembro de 2008

páteo bagatella, rato


Entre o Largo do Rato e as Amoreiras, por detrás da fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, existe um pátio recentemente recuperado chamado páteo bagatella. Ao nível do piso térreo os espaços em torno do pátio forma adaptados para comércio, sendo alguns deles afectos à restauração. Tal utilização permitiu a criação de diversas esplanadas ao longo do pátio tornando o mesmo num espaço excelente para o convívio e lazer.
Naturalmente, tal solução, que já foi reproduzida em diversos quarteirões lisboetas, só foi possível devido ao forte investimento do promotor imobiliário que adquiriu todos os edifícios pertencentes ao pátio permitindo assim trabalhá-lo em conjunto. Gostaria de destacar que a organização física do referido empreendimento poderia facilmente ser transformado num condomínio fechado, uma vez que está tanto na moda esse tipo de vivência habitacional. Felizmente não foi essa a opção tomada sendo que todo o bairro ficou a ganhar com esta intervenção. Não sei quais são os preços de venda de cada fogo, mas calculo que não sejam nada baratos. No entanto apresento este exemplo para mostrar que é possível conjugar os interesses dos promotores imobiliários com os interesses da população, desde que os primeiros não optem pela especulação pura e dura.
Sei que na cidade da Horta não existe a tradição dos pátios, mas existem empreendimentos imobiliários que abrangem quarteirões inteiros. Talvez esta seja uma das soluções a equacionar nesse tipo de intervenção.

2 comentários:

geocrusoe disse...

se o tempo amanhã permitir vou ver se exploro o local

Cat disse...

Eu voto em ti eu voto em ti!!
Este comentário é político ou apolítico???

CAT